Arquivo para Tag: força de trabalho

Posts

Curso Planejamento da Força de Trabalho

São objetivos do Curso Planejamento da Força de Trabalho:

Capacitação em estruturação e dimensionamento da força de trabalho de forma alinhada às necessidades presentes e futuras da organização;

Desenvolvimento das competências críticas de alocação quantitativa e qualitativa das pessoas e otimização da alocação e gerenciamento da capacidade e da demanda com uso de reconhecimento e meritocracia.

Turmas abertas ou in-company, sob medida para sua organização
Presencial – 3 dias de duração com carga horária de 24 horas
A distância – 4 semanas de duração com carga horária de 40 horas

Leia mais

Planejamento da Força de Trabalho

Este é o quinto artigo de uma série destinada a entender a necessidade urgente de investir na evolução da governança nas organizações públicas para aumentar a sua eficácia e geração de valor público.

por Joel Solon Farias Azevedo
Sócio-diretor da ProValore

No primeiro artigo da série – Governança pública – dicas de sucesso – falamos da necessidade de se ter um calendário anual de governança que privilegie o pensamento estratégico integrado em detrimento da lógica orçamentária inercial e continuísta, tão precária.

No segundo artigo da série – Governança pública – saiba a diferença entre governança e gestão – apontamos item a item as diferentes responsabilidades: da governança com o direcionamento estratégico e monitoramento dos resultados, e da gestão com a execução da estratégia definida e negociada.

No terceiro artigo da série – Dez práticas de sucesso na governança da gestão de pessoas – apontamos os diferenciadores da gestão do conhecimento da organização, que está nas pessoas que a compõem, e a necessidade de alinhamento do desenvolvimento do conhecimento com a estratégia e os objetivos da organização.

No quarto artigo da série – A governança e a gestão ativa dos riscos como oportunidades – apontamos a necessidade de monitorar os cenários externos e internos para permitir a tomada de decisão tempestiva ainda na tendência e antes dos fatos, aproveitando ao máximo as oportunidades.

Pois agora falaremos do planejamento da força de trabalho, o mais crítico de todos os recursos: a alocação ótima das pessoas (quantitativa e qualitativa) e da sua inteligência e conhecimento às atividades desempenhadas pelas organizações.

O problema

Processos e resultados, de pessoas ou não, são medidos em termos de tempo, custo, qualidade e capacidade. E por capacidade entendemos uma carga de trabalho justa para as pessoas, indiferentemente do seu local de trabalho. A consequência do desequilíbrio na alocação implica em desperdício e custo extra nas unidades sobrealocadas e em descumprimento dos prazos e padrões dos serviços nas unidades subalocadas.

Eis o problema: diferentes unidades em diferentes realidades apresentam demandas diferentes em quantidade e complexidade. Além disto, a demanda pode variar para mais ou para menos, com bastante sazonalidade.

Ora, não há nada mais injusto nas organizações que tem várias unidades distribuídas, que em algumas unidades tenhamos equipes sobrecarregadas com muito trabalho enquanto que em outras unidades tenhamos equipes folgadas, com pouco trabalho.

O resultado final para a organização é que sua imagem será arranhada pela baixa qualidade dos serviços prestados nas unidades sobrecarregadas, principalmente pela morosidade na entrega dos serviços. E a sobrecarga de algumas unidades, na média, derrubam a avaliação e a percepção da qualidade dos serviços de toda a organização.

Sabemos que, quando deixadas à sua própria sorte, as unidades tendem a manter e privilegiar o status quo e a zona de conforto em detrimento do interesse social de seus públicos. Portanto, não espere que, no Brasil, as unidades com pouca demanda se ofereçam para ajudar aquelas sobrecarregadas. Isto não vai acontecer.

A solução

Por conta disto, a organização precisa intervir periodicamente para ajustar a capacidade e os recursos das unidades para atender à demanda. É imperativo. É uma questão de justiça.

A organização precisa observar critérios justos que considerem a quantidade e a complexidade da demanda, o estoque e a produtividade das unidades, a avaliação de manutenção ou não das unidades em função da demanda mínima, e a realização de rodadas periódicas de movimentação lateral para atualização da lotação.

Tais critérios e regras precisam ser aprovados em alto nível na organização, no colegiado responsável pela governança da gestão de pessoas.

Demonstramos abaixo uma representação gráfica em alto nível do processo, que pode lhe ajudar a melhorar a política de gestão de pessoas na sua organização, e consequentemente os resultados.

Nossa abordagem

Além da alocação quantitativa, nós da ProValore observamos também o alinhamento do perfil de competências das pessoas e dos cargos ocupados a partir de avaliações de desempenho, de desenvolvimento e de potencial, conforme padrões definidos para as competências derivadas da estratégia da organização.

Se tiver interesse em conhecer nossos métodos de governança, gestão e desenvolvimento gerencial, visite-nos em www.provalore.com.br ou entre em contato diretamente comigo no e-mail joel@provalore.com.br.

Um grande abraço e até o próximo.

 

interrogQuer saber mais sobre nós? 

Veja nossas opções de treinamentos
Veja nossas abordagens de consultoria 

 

Fique por dentro de tudo que acontece na gestão!

Informe o seu email abaixo e receba as nossas publicações.

Cadastre-se e receba semanalmente as melhores dicas e práticas de gestão no seu e-mail. Para lhe auxiliar, preparamos o e-book Guia de Planejamento Estratégico para 2019, que será enviado no seu e-mail.

ProValore Consultoria de Gestão e Desenvolvimento Gerencial | Fone 61 4042 3586 | Brasília - DF | e-mail contato@provalore.com.br - Enfold WordPress Theme by Kriesi

Quer melhorar os seus resultados e os da sua organização?

Receba semanalmente as melhores dicas e práticas de gestão.

Para lhe auxiliar, preparamos o e-book Guia de Planejamento Estratégico para 2019, que será enviado no seu e-mail.