5 estratégias para lidar com chefes ruins!

Nós podemos SIM encontrar o emprego dos sonhos, mas nem sempre ele virá acompanhado de um líder dos sonhos. 

Fonte da imagem: http://www.ambientelegal.com.br/pesquisas-cientificas-param-na-burocracia-brasileira/Fonte da imagem: http://www.ambientelegal.com.br/pesquisas-cientificas-param-na-burocracia-brasileira/

por Eberson Terra, no LinkedIn

É natural que ao longo de nossas carreiras enfrentemos desafios com chefes despreparados. Este inclusive é um dos grandes motivos para que um colaborador tome a difícil decisão de se desligar da empresa.

Enquanto as organizações perdem talentos

… que sequer foram descobertos, os chefes ruins sobrevivem por blindarem, de forma gloriosa, suas ingerências e atos de insensibilidade com o próprio time. Infelizmente nem sempre a alta gestão consegue descobrir estes gestos de covardia, geralmente observam com superficialidade problemas graves que acontecem na operação e por isso não conseguem ter uma atuação contundente contra líderes que aprontam poucas e boas com as equipes.

Esta miopia corporativa é mascarada por bons relacionamentos e articulações que são realizadas do chefe para cima da pirâmide organizacional, enquanto para baixo as coisas vão de mal a pior.

Indicadores como a taxa de turnover podem ajudar a detectar problemas de gestão

… nas áreas da empresa, porém não é fácil distinguir o que chamamos de “estilo” de liderança mais dura e enérgica e gestões altamente danosas para as pessoas. Geralmente, a empresa apenas faz algo quando esta linha tênue de dureza é ultrapassada e passa a ser encarada como assédio moral.

Mas o que fazer quando um chefe ruim mina aos poucos sua própria equipe com o seu “jeito de ser”, mas ele não ultrapassa limites para caracterizar efetivamente algo denunciável ao RH?

Costumo dizer que quem nunca teve um chefe ruim, corra para ser o dono de sua própria empresa, caso contrário, um dia você vai se deparar com este desafio pela frente. Então, caso você não tenha intenção de empreender, é extremamente importante saber lidar com os principais “tipos” de chefes ruins que podem cruzar o seu caminho profissional:

1.      Como lidar com chefes ansiosos

Este é o tipo mais comum de chefe ruim. O líder ansioso acredita que está em xeque com a alta gestão a todo momento e por isso pergunta a cada 5 minutos como está o andamento das atividades ao time. Mesmo com prazo já estipulado ele não consegue aguardar, tampouco confiar na equipe e acaba atrapalhando a fluidez do trabalho. O microgerenciamento acaba sendo a sua forma de gerir as tarefas, não dando espaço para os colaboradores respirarem e desempenharem todo o seu potencial, interrompendo sistematicamente o desenvolvimento da produção.

Para lidar com chefes ansiosos é preciso ter um planejamento e controle diferenciados. A equipe necessitará se antecipar, coletando o máximo de informações sobre o andamento das atividades, munindo o líder antes mesmo que ele venha perguntar. Outra estratégia é estabelecer, por conta própria, um método de acompanhamento visual, como o Kanban, para que o chefe consulte o andamento sem a necessidade de interromper os membros da equipe.

2.      Como lidar com chefes injustos

Este chefe é o mais difícil de se trabalhar. Apesar da maioria das injustiças acontecerem sob uma ótica responsável e com uma justificativa que parece convencer as pessoas, ela acontece de forma velada. Geralmente a injustiça acontece de duas formas: em punição ou desprezo. A primeira é direta e vem acompanhada de falsas verdades para justificar um sermão ou algo mais grave como a advertência e até a demissão. A punição é atribuída como um gesto de dar o exemplo ou de demonstrar para a lata gestão ou pares que um erro não acontecerá mais, porém nem sempre a pessoa punida foi a causadora na totalidade do problema, mas foi escolhida para “ser” castigada. Já a segunda forma é mais cruel, pois acontece de forma indireta: o desprezo acontece ao preterir colaboradores com melhor desempenho a outros de seu círculo de amizades quando existe uma chance de promoção, por exemplo.

Neste caso a estratégia aplicada deve ser a da precaução. Os colaboradores preteridos precisam do dobro de proteção externa para não serem usados como “bucha de canhão”. Estabelecer networking e se aproximar de outros líderes da empresa, como clientes internos ou pares que possam comprovar seu bom trabalho são essenciais para evitar que uma injustiça seja tomada. Ter um círculo forte de pessoas respeitadas na empresa pode diminuir o ímpeto de um chefe injusto fazer algo contra você, por entender que aquela ação possa ser vista fora da equipe.

3.      Como lidar com chefes indiferentes com os colaboradores

Chefes indiferentes são aqueles que não ligam para o desenvolvimento da equipe. Suas preocupações são apenas com o trabalho sendo feito a contento, mas ele nunca levantará uma palha para ajudar seus colaboradores a alçarem voos maiores. Aliás, pode acontecer o contrário, um líder indiferente pode prejudicar o crescimento profissional do próprio time para manter o status quo e não ter o trabalho de treinar do zero um novo colaborador.

A estratégia básica para lidar com este tipo de chefe é ser melhor do que ele! Explico: Empresas buscam incessantemente pessoas com grande capacidade de melhorar resultados e não de mantê-los no mesmo patamar. Chefes indiferentes são, geralmente, preguiçosos e não querem que as coisas mudem. O agente da mudança pode vir da própria equipe, sugerindo e FAZENDO tarefas que gerem mais resultado, surpreendendo clientes internos e externos, sem utilizar o seu chefe como intermediário. A exposição do seu trabalho perante a empresa dependerá totalmente de seu esforço, busque participar de reuniões, pedir para entrar em novos projetos, mas sempre fazendo aquilo que deixe seu líder satisfeito: o famoso arroz com feijão!

4.      Como lidar com chefes egoístas

Ahhh, o ego! Uma palavrinha pequena, de apenas 3 letras, mas que preenche um ser humano por completo. Chefes egoístas querem os louros do sucesso apenas para si mesmos e passarão por cima do time sempre que possível para demonstra o quanto a sua liderança foi o diferencial de um projeto ou atividade executados com bons resultados. E quando o contrário ocorrer, ou seja, um fracasso, o chefe egoísta se eximirá de qualquer erro, colocando o foco todo na equipe.

Lidar com chefes com este temperamento é um desafio peculiar, enquanto os outros é necessário se precaver e se proteger, neste caso o antídoto do veneno é o PRÓPRIO VENENO. Chefes egoístas gostam de serem parabenizados em público, então marcar presença em momentos em que o seu chefe é parabenizado, pode reforçar a existência de um time atrás dele, que efetivamente coloca a mão na massa. Vender o próprio peixe e permitir que seu chefe se utilize deste seu momento (desde que ambos sejam parabenizados) pode ser uma forma branda de mostrar que o trabalho é feito em equipe e que todos possuem seus méritos.

5.      Como lidar com chefes que não sabem dizer NÃO

Chefes que não conseguem negociar prazos, tarefas e políticas podem inundar seus times com demandas incoerentes com a realidade. Chefes que não conseguem dizer não possuem um grande medo de serem expostos por seus pares ou ainda rotulados como aqueles que não estão dispostos a ajudar. Por outro lado, ao falarem sim para todas as demandas que aparecem, até aquelas geradas por outras áreas que se aproveitam da boa vontade, prejudicam o próprio time, sacrificando suas vidas pessoais ao ficarem fora do horário do trabalho resolvendo “pepinos alheios”.

Comprovar com dados e fatos a real produtividade da equipe pode ajudar o líder a compreender que demandas não previstas e sem a devida negociação poderão impactar negativamente em outras ações que são (aí sim) de responsabilidade da equipe. O acúmulo de horas extras, o stress beirando um burnout, podem ser fatores tardios e por isso, ter uma conversa franca com o chefe demonstrando as horas dedicadas para cada tipo de trabalho é essencial para coloca-lo a par da situação dos colaboradores e sobre possíveis consequências no futuro. Deixá-lo ciente é uma forma de se precaver caso o time tenha um colapso ou quando forem cobrados por um prazo não cumprido.

Estes são apenas 5 estereótipos mais fáceis de serem encontrados nas empresas, mas outros tantos “estilos” danosos de gestão surgem diariamente por aí. Você perceberá que em todos eles, existe uma falha grave de autoconhecimento por parte do líder. Eles geralmente possuem baixa estima e utilizam estes formatos de liderança ruim para se proteger de ameaças que nem sempre são reais. Nem sempre este desvio de conduta é uma falha de caráter e por isso a sabedoria em lidar com situações como as que descrevi acima são importantes para você permanecer com saúde mental saudável em seu emprego.

E se você encontrar um novo tipo de chefe ruim, qual é a sua estratégia para lidar com ele? Não baixe a cabeça e siga o seu caminho!

Invista na qualidade da gestão e tenha mais resultados:

Veja nossas opções de treinamentos
Veja nossas abordagens de consultoria 

Fique por dentro de tudo que acontece na gestão!

Cadastre-se e receba semanalmente as melhores dicas e práticas de gestão no seu e-mail. Para lhe auxiliar, preparamos e enviaremos no seu e-mail o e-book Guia de Planejamento Estratégico para 2020.