Jack Welch, Financeiro X Recursos Humanos na briga pelo sucesso

www.hsm.com.br

“Levante a mão quem em sua empresa percebe o diretor de recursos humanos com o mesmo nível do diretor financeiro”. Com esta provocação, Jack Welch chamou a atenção da plateia.

O CEO explicou que é um pecado não ter uma ótima equipe de recursos humanos fazendo desenvolvimento executivo. “Você vai preferir inverter os valores?”, questionou, afirmando que é preciso esperar uma mudança de atitude da comunidade de recursos humanos, que não pode mais ser passiva. “Um líder de alto nível precisa de um sistema de integridade, onde a avaliação das pessoas é feita com o mesmo nível de precisão com que é feito o balanço da empresa”.

Para Welch, confiança é muito importante no processo. “Isso é fundamental para o sucesso de qualquer empresa. Como é que você pode desenvolver uma grande equipe?”, questionou, dando sequência às respostas sobre os temas diversos perguntados pela platéia, com o intermédio de Eduardo Bom Angelo, Diretor Superintendente da LAZAM/MDS Gestão de Seguros.

Estratégia
“Quando pensamos em estratégia é sempre importante diferenciar inspiração e transpiração.
Fazer com que todos da empresa sintam nos ossos e no sangue a sua missão. As pessoas têm que perceber que você se preocupa com elas. Eu acho que existe um gene em qualquer bom líder que diz o seguinte: que o líder se preocupa com ele, com as suas famílias e que ele é generoso sob todas as formas. As pessoas têm que acreditar em você, e você tem de ser honesto com elas. Ninguém tem de vir trabalhar para uma empresa sem que saber para onde a empresa está indo.”

Responsabilidade Social
Com um posicionamento polêmico, Jack Welch afirmou que a responsabilidade social corporativa “está em ganhar”. “Se você não ganhar, não paga imposto, não gera emprego. Só as empresas que ganham dinheiro podem retribuir”, explicou. Para ele, a responsabilidade social corporativa é um produto das empresas de sucesso.

Novas tendências
Welch provocou a platéia perguntando o que pode descarrilar o trem: a próxima eleição ou a queda dos preços dos commodities? Sua resposta foi clara: “A natureza dos negócios é cíclica. Nós não sabemos o que vem a seguir. Se soubéssemos, estaríamos fazendo outra coisa”.

Entre as tendências analisadas pelo CEO, destaque para as grandes dimensões em saúde, que estão criando uma sociedade muito mais longeva. Welch acredita que a longevidade vai aumentar ainda mais “As empresas vão fazer as pessoas viverem muito mais tempo”. Para ele, as empresas estão muito mais includentes e horizontalizadas do que há 20 anos. “O mundo hoje é muito menos de cima para baixo, já existem minorias com muita voz”. E mais vai vir, de acordo com sua crença. As pessoas terão mais opções e vão querer um empregador que se preocupe com elas e ofereça oportunidades de crescimento a partir da meritocracia.

Ao final da videoconferência, Jack Welch deixou algumas lições que aprendeu com os erros de sua carreira e que recomenda para os líderes das empresas:

– Certifique-se de que você entenda como é difícil contratar pessoas excelentes e não espere acertar sempre;
– Quando você cometer um erro, não esconda. Admita e lide com isso;
– Ter sucesso e deixar isso subir à cabeça é péssimo. “Alguns incham, e outros crescem. Eu quero ser um daqueles que crescem”.

Por fim, o CEO ressaltou que quer ser lembrado como alguém que trabalhou pelas pessoas. “Se você é líder e não se empolga com o aumento de salário de alguém, quem é você?”, finalizou.

HSM Online
30/11/2009

Invista no desenvolvimento da gestão e dos gestores para melhorar os resultados da sua organização:

Veja nossas opções de treinamentos
Veja nossas abordagens de consultoria 

Cadastre-se e receba semanalmente as melhores dicas e práticas de gestão no seu e-mail.

Na mensagem de boas vindas você receberá o e-book Guia de Planejamento Estratégico para 2023 com o passo a passo do processo de planejamento.